Constantemente, os administradores se defrontam com problemas nos quais deve ser tomada uma decisão entre continuar a produzir com determinados equipamentos ou substituí-los por novos, que se enquadram melhor técnica e economicamente. As avaliações de ativos ajudam na comparação de alternativas de investimento a realizar, dando subsídios para que sejam tomadas as decisões mais corretas.

OS PRINCIPAIS BENEFÍCIOS DA AVALIAÇÃO PARA FINS GERENCIAIS QUE PODEMOS DESTACAR SÃO:

a) Valorando-se os bens, podemos comparar o bem que há na empresa com outras alternativas de mercado, que podem ser tecnicamente melhores por um valor não muito superior ao bem de produção atual;

b) Observar se há obsolescência física, ou seja, verificar se o equipamento está gasto e só produz à custa de grandes despesas de manutenção, ou se nele se efetuar uma grande reforma.

c) Identificar se o atual equipamento tem uma capacidade insuficiente para novas condições da demanda ou não se presta mais para atender a essas condições devido a mudanças nas exigências do serviço prestado.

d) Possibilidade de arrendamento ou de aluguel ou de outros meios mais baratos que a simples continuidade com os equipamentos.

Por vezes negligenciado pelas empresas, muitas vezes subavaliado, o ativo imobilizado é tratado como uma questão meramente contábil.

A ausência da dimensão exata do valor do ativo impede que as decisões gerenciais sejam tomadas com base em informações seguras, perdendo-se a noção do retorno sobre os investimentos, subestimando-se a capacidade de investir.

Sob a ótica financeira, podemos destacar o benefício de atendimento às exigências da CVM para companhias de capital aberto, mantendo-se um registro correto de seus ativos.

Na perspectiva organizacional, o controle do ativo imobilizado através de inventário físico, possibilita ganhos sensíveis a toda a organização, saneando o ativo e gerando controles gerenciais para fins contábeis, fiscais, e no caso das instalações e maquinário, auxiliando a engenharia de produção e a operação na correta manutenção de seus bens.

Considerando-se uma relação custo x benefício bem favorável, o trabalho de organização e avaliação de ativos segue uma sequência pré-estabelecida, envolvendo as áreas de patrimônio, engenharia e manutenção das empresas como fornecedores de informações sobre os bens.

Estes são identificados de forma precisa através de plaquetas com código de barras, permitindo-se futuras leituras de acompanhamento, registrados com suas características físicas, ano de aquisição, vida útil, valor de reposição e valor de mercado, e cadastrados diretamente no sistema de controle de ativo imobilizado disponível na empresa.

Além de demonstrar de forma adequada o controle e a organização dos ativos, a avaliação permitirá ao empresário ou dirigente de empresa o conhecimento exato do valor imobilizado, os custos relacionados com sua depreciação, os valores envolvidos no futuro com a reposição destes bens, norteando as tomadas de decisão com vistas a investimentos e possíveis negociações.

Avaliação de bens com Qualidade

Atendemos todo o Brasil!