A avaliação de bens, via de regra, destina-se a estabelecer um valor ou uma série de valores para determinada finalidade. É esta finalidade que ditará o critério a ser observado no trabalho do engenheiro de avaliações.

No campo específico da determinação dos valores de bens para fins de garantias das mais diversas (hipotecas, garantias bancárias, penhor mercantil, etc..) não poderíamos deixar de ressaltar a definição de avaliação dos bens.

Devemos ter em mente o conceito de valor de mercado para compra, que é o valor provável que o proprietário industrial reporia um bem isolado no mercado no estado em que se encontra. Temos, como exemplo, a aquisição de máquinas operatrizes pela indústria no mercado de usados.

Ressaltamos ainda o valor de mercado para compra, que é o valor provável que o proprietário industrial de um bem isolado obteria no mercado para sua venda no estado e no local em que se encontra.

A avaliação representa uma apreciação crítica sobre os bens objetos do estudo, diferentemente de atribuir apenas um valor monetário, pura e simplesmente. Vai desde a constatação dos estados de conservação e manutenção até a operacionalidade dos mesmos, envolvendo inclusive sua eficiência e outros aspectos direta ou indiretamente ligados à sua utilização de capacidade produtiva.

Estes aspectos são essenciais para a segurança da instituição bancária fiduciária, e também para a empresa, haja visto que a correta exposição dos dados dos bens móveis e imóveis trazem à tona a verdadeira condição de uso dos mesmos, para que, no caso de uma execução de bens, não hajam quaisquer empecilhos com relação a reutilização dos mesmos.

Avaliação de bens com Qualidade

Atendemos todo o Brasil!